Colômbia

Colombia-w-strokes

Esse é o primeiro post do blog! Decidi compartilhar minhas experiências de viagem depois de alguma relutância… afinal consome-se tempo (que é um recurso finito e escasso) para essa tarefa. Contudo, como sempre leio as experiências de outros antes de viajar e descubro coisas novas na viagem, resolvi agregar esse conhecimento adicional para os que irão. Assim, espero que sejam recompensadoras as histórias e dicas para você, que decidiu vir até aqui para descobrir um pouco da Colômbia! Não deixe de fazer seus comentários para que possa melhorar a qualidade do site. Um abraço e boa leitura!

 

Geral

Quando se fala em Libertadores da América logo associamos ao mais importante campeonato de clubes das Américas. Contudo, ao visitar a Colômbia descobrirá diversas honrarias a Simón Bolívar, um comandante criollo (expressão usada para denominar filhos de espanhóis nascidos na América) que lutou para que vários territórios do continente americano deixassem de ser colônias da Espanha e se tornassem independentes. Esses territórios deram origem à Venezuela, à Colômbia, ao Panamá, ao Equador, ao Peru e à Bolívia.

A capital Colombiana, Bogotá, fica a 2.640m acima do nível do mar e possui uma população superior a 8 milhões de habitantes. Não por acaso, menciono aqui um problema comum que encontrará ao visitar essa cidade superpopulosa: o trânsito! Contudo, como você provavelmente estará a passeio e circulará fora dos horários de pico, sugiro utilizar o transporte de taxi, não somente em Bogotá, mas na Colômbia em geral; embora os veículos não sejam novos, o custo é bastante acessível. Isso vai fazer você ganhar tempo que seria desperdiçado no transporte de ônibus.

A moeda é o peso colombiano (COP). Atualmente, 1R$ = 900 COP. Além do peso colombiano, o dólar americano é facilmente aceito nos estabelecimentos comerciais. Fique atento para a cotação empregada nesses (1US$ = 2.900 COP).

Os voos para a Colombia a partir do Brasil saem de São Paulo e do Rio de Janeiro com destino a Bogotá. As principais companhias aéreas que realizam o trecho são Avianca, Latam e Copa Airlines.

Além de Bogotá, as principais cidades colombianas são: Medellín, Cáli, Barranquilla e Cartagena das Índias. Para visitar outras cidades colombianas optamos pela via aérea: as passagens pela companhia Viva Colômbia, que opera somente trajetos internos no país, tem preços bastante convidativos (trata-se de uma empresa low-cost). Tem boas aeronaves e presta um serviço justo.

O idioma oficial é o espanhol. Os Brasileiros, com toda sua criatividade e desenvoltura, não enfrentam grandes dificuldades para se fazerem entender e conseguir tomar um cafezinho colombiano!

Por falar nisso, o café está entre os principais produtos de exportação da Colômbia, ao lado do petróleo, do carvão, das flores e das pedras preciosas. Responde por cerca de 7% do PIB. Mas o que mais o diferencia é sua qualidade: que café gostoso! Não que o Brasil não possua cafés de qualidade. A questão é que o café de primeira do Brasil vai maciçamente para o exterior… Uma dica para experimentar o café colombiano é visitar uma das inúmeras lojas Juan Valdéz, que comercializa somente cafés premium. Vale até o último gole!

As temperaturas são de amenas para frias em Bogotá, sobem um pouco em Medellín e chegam a “sucursal do inferno” em Cartagena das Índias. Por isso, sua mala precisa conter peças de roupa que atendam a todas as opções anteriores. É uma tarefa árdua, especialmente para as ladies!

 

Bogotá

Optamos por ficar na região mais empresarial da cidade, onde se concentram os melhores hotéis e restaurantes. Recomendo o Hotel Atton, que é bem novo, moderno, tem excelentes acomodações, wi-fi rápida e excelente café da manhã. Considere também ficar na região da Candelária, onde a cidade começou e estão concentrados o Museu do Ouro, Museu Botero, Casa da Moneda, Catedral, Praça Bolívar e o Capitólio Nacional.

Aliás, reserve um dia para conhecer essa região da cidade. Aos domingos, a entrada é gratuita no Museu do Ouro (www.banrepcultural.org/museo-del-oro). Não deixe de visitá-lo: conta a história da exploração do ouro desde o período pré-colombiano, passando pelo período colonial até chegar os dias atuais. Conta também a evolução das técnicas de metalurgia e manejo do ouro, da prata e bronze.

Produções de ouro de indígenas pré colombianos

 

Um passeio obrigatório em Bogotá é o Cerro Monserrate (www.cerromonserrate.com). Trata-se de uma montanha que está a 3.152m acima do nível do mar. Tem-se uma vista espetacular lá do alto! Pode-se chegar de teleférico, funicular ou a pé, se estiver em forma! Custa 20.000 COP a ida/volta/pessoa de teleférico/funicular de segunda a sábado. No domingo o serviço custa 11.000 COP.

DSCN5851

Vista de Bogotá do Serro Monserrate

Outro passeio que recomendo é o Mercado das Pulgas (www.pulgasusaquen.com), que acontece aos domingos somente. É uma feira que reúne produções artesanais como vestuário, decoração, música, … . Aproveite para tomar um suco típico de frutas da região, como o lulo, ou um mais normal, como de morango (fresa) ou maracujá.

P_20170917_103322Pri tomando um suco de fresa

 

Imperdível é a visita a Catedral de Sal (www.catedraldesal.gov.co) que fica na cidade de Zipaquirá, distante 44 km de Bogotá. De carro, gasta-se cerca de 1h. Essa Catedral foi construída 180m abaixo do solo, num monte que originalmente explorava-se somente sal. Um detalhe interessante é que não houve um projeto por um arquiteto ou conjunto de arquitetos como vemos em outras grandes construções desse tipo pelo mundo. Os mineiros fizeram todo o trabalho, desde a concepção até a execução. Esteve cotada para se tornar uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Curiosidade: um casal (bem rico) desejou fazer o casamento na Catedral e precisou fechá-la para visitação por um dia inteiro. Atualmente são recebidos até 4.000 visitantes/dia. O valor do ticket é 50.000 COP/pessoa. Uma verdadeira fortuna! #casamentoostentação. Dica para as mulheres: dentro da Catedral há lojas para comercialização de souvenires diversos, inclusive de um dos produtos mais famosos da Colômbia: esmeraldas! Os preços são bons comparados aos praticados em Bogotá, no Museu das Esmeraldas. Recomendo ir de carro para lá. Conseguimos uma senhora que foi muito atenciosa e nos levou num bom preço: 150.000 COP. Sílvia. Telefone: +57 310 8532921 (WhattsApp).

DSCN5893Interior da Catedral de Sal

 

Ainda há mais dois passeios que sugiro: conhecer a produção das rosas colombianas e o o mercado de frutas de Paloquemao (www.colombia.travel/pt/que-fazer/andina/bogota/experiencias/frutas-de-paloquemao). A Colombia é o 2º maior produtor de flores do mundo e as rosas estão entre as mais belas do planeta. Ao redor de Bogotá há diversas estufas para cultivo delas. Já no mercado de frutas pode-se experimentar novos sabores, como o lulo, a granadilla e o patacón, desconhecidos pela maioria dos Brasileiros. Se não tiver oportunidade de ir ao mercado, tente experimentar os “jucos” dessas frutas, muito presentes nos restaurantes da cidade.

Concluindo Bogotá, não poderia deixar de falar da gastronomia. Há muitos bons restaurantes. Seguem alguns:

  • Andrés Carne de Res (www.andrescarnederes.com): é difícil definir o que é esse lugar. É um mix de restaurante, com pista de dança, bar … . O cardápio parece um livro. É difícil escolher algo diante de tantas opções. O mais famoso (e distante) é o Andrés que fica na cidade vizinha de Chía. Contudo essa unidade abre somente de quinta a domingo. Tem vários ambientes e uma decoração bem exótica!  Se você gosta de “bailar”, aqui é o lugar! Preços um pouco salgados (50.000 COPS um petisco e 10.000 COPS uma cerveja long neck Club Colombia, boa cerveja colombiana).
  • Santa Costilla (http://santacostilla.co): foi o melhor restaurante que experimentamos em Bogotá! Fica na região da Feira de Artesanato de Usaquén e é uma excelente pedida para almoçar no domingo. A costela é deliciosa! Experimente também as empanadas, prato típico da Colômbia que nada mais é que um pastel de angú recheado (carne, queijo, pescado, etc). Quem é de Minas Gerais sabe bem como é! Bão d+! Peça também a sobremesa “Tres Leches”. Divina!
  • Cervejaria BBC (http://bogotabeercompany.com): é a cervejaria artesanal da cidade! Para os apreciadores da bebida, recomendo muito! Gostei da BBC Monserrate Roja, que é uma Red Ale frutada. Acompanham as cervejas pizzas ou petiscos de carne.
  • Crepes & Waffles (http://crepesywaffles.com.co): é uma rede de restaurantes presente em várias cidades da Colômbia, não apenas Bogotá. Os crepes são muito bons. Experimente também os pães (grandes) recheados com molhos de carnes. O ambiente é agradável, bom atendimento e as comidas saem rápido.

 

Medellín

Não há como falar de Medellín e não pensar em Pablo Escobar. Essa figura icônica tem até um museu na cidade. Aproveitei para perguntar aos locais como eles viam Pablo Escobar. Os comentários revelaram tanto o seu lado perverso (ele foi responsável pela morte de diversas pessoas, além de suborno de autoridades), quanto o lado Robin Hood, já que distribuía dinheiro para as pessoas pobres de Medellín. Ele morreu em 2 de dezembro de 1993 depois de uma perseguição policial pelos telhados de casas em Medellín. A série Narcos conta os detalhes dessa história.

Mas falemos de alguém realmente ilustre da cidade: o artista plástico e pintor, Fernando Botero. Na principal praça da cidade estão várias das suas esculturas, além de um Museu dedicado a ele (www.museodeantioquia.co). Seu estilo inconfundível mostrava pessoas, e até objetos, com “gordurinhas a mais”. Botero também foi um artista político e retratou nas suas pinturas a preocupação com os conflitos armados envolvendo as FARCs e o Exército Colombiano. A entrada no Museu de Antioquia, onde estão várias obras do artista, custa 18.000 COP/pessoa. Vale a visita.

DSCN5916 Três Boterinhos!

Um passeio também obrigatório em Medellín é conhecer o sistema de Metrocable que interliga as regiões mais pobres, que por anos foram dominadas pelo tráfico de drogas, ao sistema de Metro. Lá do alto do bonde, tem-se a vista das comunas, comunidades que antes eram marcadas pela violência e intimamente associadas ao Cartel de Medellín. Hoje, estão pacificadas. É espetacular ver como uma cidade pode ser transformada para o bem e as pessoas que vivem nesses locais gozar de melhorias nas condições de vida. O ticket para o Metrocable custa 2.300 COP/pessoa.

DSCN5935Vista de Medellín a partir do Metrocable

Nesse dia, aproveite para ir até o fim da linha do Metrocable, onde está o Parque Arví (http://parquearvi.org). Esse parque foi construído depois de um processo de reflorestamento que demandou 70 anos. Fica a 2.600m acima do nível do mar e possui um clima bastante ameno, bom para fazer caminhadas pelos “senderos” de orquídeas, bromélias e antúrios. Há restaurantes e outras barraquinhas de comida no parque. Preços acessíveis. Há visitas guiadas ao custo de 7.000 COP/pessoa. Vale muito a visita!

Algumas das lindas espécies presentes no parque Arví

Recomendo também dar um giro pelo Jardim Botânico da cidade (www.botanicomedellin.org). Ele tem um clima muito agradável e é ótimo para uma caminhada. Aproveite para conhecer o criadouro de borboletas. Muito bonito! Entrada gratuita.

Por fim, o último passeio recomendado em Medellín é o Cerro Nutibara e o Pueblito Paisa (www.guiaturisticademedellin.com/index.php/es/atractivos/5-pueblito-paisa-cerro-nutibara). Trata-se de um ponto de observação da cidade. Já o Pueblito Paisa é uma réplica de um povoado da região de Antioquia, cuja a praça é rodeada de construções tradicionais. Os locais são conhecidos por “paisas”, uma expressão cujo significado tem a ver com “povos das montanhas” que habitavam a região de Antioquia e de províncias adjacentes. A distinção vai além o nome: há comida, vestimenta e músicas típicas dos paisas. Por exemplo, a bandeja paisa é uma tradição na região. Dá uma olhada no pratinho aí embaixo…

IMG-20171005-WA0002_FotorBandeja paisa

Outra comida típica dos paisas é a arepa, uma espécie de tortilha feita a base de milho, em formato circular e achatada. Geralmente é servida com manteiga ou queijo.

E ainda outra distinção dos paisas é o sombrero vueltiao. Você pode comprar um na praça central da cidade por módicos 50.000 COP.

sombreiro-feito-mão-colombiano-tradicional-dos-chapéus-55968813_Fotor.jpgSombrero Vueltiao

Concluindo a cidade de Medellín seguem minhas recomendações em relação a hospedagem e, claro, gastronomia. Fiquei hospedado no Hotel Binn, que é relativamente próximo da Zona Rosa, região onde está o agito noturno da cidade. Contudo, como a cidade de Medellín tem muitos morros e, o hotel que escolhemos fica no alto de um desses, se despende um balde de suor para descer até a região dos bons restaurantes e da estação do metro e depois voltar a pé. O jeito foi ir e voltar de táxi. Sorte a nossa que as corridas foram muito baratas. O Hotel é bem novinho, boas acomodações, wi-fi rápida e tem bons atendentes. Peca na localização e no café da manhã; muito fraco mesmo = (

Já os restaurantes, seguem sugestões:

  • Restaurante do Museu de Antioquia (https://www.museodeantioquia.co/su-visita/#/restaurante-y-cafe/): muito bom para experimentar a culinária local. Claro, pedi a bandeja paisa. Recomendo. Experimente também a limonada de coco. Uma delícia!
  • Pizzaríe Olivia (http://pizzeriaolivia.co): pratos italianos tradicionais. Boa carta de vinhos. Várias unidades na cidade. Muito bom caso queira comer algo mais tradicional ao paladar. Pratos em torno de 40,000 COP.
  • Tabún: restaurante de comida árabe na Zona Rosa. Foi uma boa pedida, pois meu cunhado nunca tinha provado comida árabe antes e ficou maravilhado. Pratos em torno de 50.000 COP.
  • Arte Dolce: cafeteira muito boa localizada na Zona Rosa, incluindo as sobremesas de “helados” com brownies e tortas doces.
  • Tapiando: hambúrgueres artesanais e cervejas para os mais variados gostos. Muito bom! Fica quase na esquina da Transversal Inferior com a calle 10, El Poblado, ao lado do Hotel Best Western. O atendimento do Mauro é nota 10!

Dica final: o aeroporto de Medellín, José Maria Córdova, é bem distante da cidade. Prepare-se para gastar algo em torno de 80.000 COP no táxi.

 

Cartagena das Índias

O maior porto das colônias espanholas nas Américas foi o principal responsável por escoar ouro e prata extraídos em Nova Granada, região que corresponde atualmente aos territórios da Colômbia, Panamá, Venezuela e Equador, para a Coroa Espanhola. Recebeu também milhares de escravos africanos, que se tornaram mão de obra para a construção de estradas, prédios e fortalezas, além de trabalharem nas minas.  A influência espanhola é claramente visível nas construções que hoje compõem o centro histórico de Cartagena da Índias. Casas que antes pertenciam aos nobres, possuíam grandes portais, sacadas, janelas, pátios e muitos cômodos. As muitas igrejas, com toda a imponência construtiva, se destacam. Você se sente como se estivesse caminhando por cidades históricas no Brasil, como Ouro Preto e Tiradentes.

DSCN5981Sacadas recheadas de flores
DSCN5980Portais e brasões identificavam as casas dos nobres
DSCN5992Jardim interno de um dos casarões
P_20170923_210758_LL_Fotor.jpgCúpula da Catedral de Santa Catalina iluminada

Aproveite para caminhar pelas estreitas ruas do centro histórico para apreciar as construções e conhecer um pouco da história. Recomendo que no 1º dia faça um tour guiado. Infelizmente, não posso recomendar o guia que nos acompanhou porque ele deixou a desejar na polidez e nos bons tratos com os clientes.

Dentre as muitas atrações está a muralha de 11km que circunda todo o centro histórico. Foi construída para evitar invasões por piratas. Desde o projeto até a conclusão em 1796 foram quase dois séculos. Ao visitá-la aproveite para curtir o por do sol no café Del Mar, que fica sobre a muralha, de frente para o oceano. Ou para apreciar a bela visão noturna da cidade.

P_20170924_221133_LL_Fotor Muralha com a cúpula da Catedral de Santa Catalina ao fundo

Reserve também algum tempo para visitar o Palácio da Inquisição (15.000 COP/pessoa). Esse lugar conta a história da perseguição, tortura e execução daqueles que eram considerados uma ameaça para os interesses da Coroa e da Igreja Católica. O Tribunal da Inquisição de Cartagena funcionou por mais de 200 anos (entre 1610 e 1821) e executou 56 “autos de fé”, termo usado para indicar a maior expressão de poder do “Santo Ofício da Inquisição”. Era um ato público que visava inspirar temor na população que assistia o “espetáculo”. As execuções eram anunciadas numa janela lateral do palácio e eram feitas por decapitação, enforcamento ou lançamento na fogueira. Triste página da história…

DSCN5997Janela onde eram anunciados os próximos da fila
Réplicas do dispositivo de enforcamento e da guilhotina

Se você não visitou o Museu do Ouro em Bogotá, terá a chance de fazê-lo em Cartagena. O enredo segue a mesma lógica do de Bogotá, já comentado nesse post.

Ainda na parte histórica, há o Castillo de San Felipe de Barajas, que foi a maior construção militar espanhola nas Américas. Situado em posição estratégica teve papel importante nas guerras contra a pirataria. O preço do ticket é salgado: 25.000 COP/pessoa. Se decidir visitá-lo, faça-o de manhã cedo, quando a temperatura ainda está um pouco mais agradável. Ele fica fora da cidade amuralhada, mas dá para ir caminhando a partir do centro histórico.

P_20170925_100143Castillo de San Felipe de Barajas

Não poderia também deixar de mencionar que Cartagena é o melhor lugar na Colômbia para a compra de esmeraldas! Sim! A Colômbia é responsável pelo fornecimento de 55% das esmeraldas no mundo! E em Cartagena empresas se especializaram na lapidação e confecção de peças ornamentais, como anéis, brincos, cordões, etc. Você observará diversas lojas que comercializam as jóias. Prepare o bolso ou uma fenda para colocar nos olhos da sua amada!

710e2d76f422cbeb9334d1e10275291a--tira-esmeralda

Vale mencionar que Cartagena, embora seja uma cidade litorânea, não tem boas praias. A alternativa é se deslocar para as ilhas do Rosário, que ficam cerca de 45min de lancha de Cartagena. Como fomos a San Andrés, optamos por não fazer nenhum passeio a essas ilhas. Contudo, há outros posts na internet bem detalhados sobre como chegar, quando ir, preços, etc. Segue um deles: https://www.penaestrada.blog.br/cartagena-passeio-pelas-ilhas-rosario/.

Finalizando Cartagena, concluo com as minhas observações sobre hospedagem e gastronomia. Em relação a hospedagem, definitivamente fique no centro histórico. É onde tudo acontece. Lhe permitirá momentos de descanso entre um passeio e outro. Isso é algo importante numa cidade onde o calor consome suas forças. Ficamos no Hotel Delírio (é um hotel, embora o nome possa indicar outra coisa). Fica bem na “meiúca” do centro histórico. Acomodações razoáveis, internet funciona bem somente no lounge. Café da manhã nota 8. Há outras opções mais simples, como hostels, e mais caras e exclusivas, como o sensacional Casa Pombo Sercotel, que dispõe de apenas 7 habitações numa mansão que pertenceu a Don Manuel de Anguiano, comandante dos exércitos reais e herói da guerra da Independência. Nem precisa falar o preço…

Sobre os restaurantes, destaco que as opções são fartas nessa bela cidade histórica:

  • Portón de San Sebastian: Esse foi um que recebemos a recomendação de ir e foi tiro certo! Excelente comida! O tratamento também da proprietária, Núbis, é top! Como nem tudo são flores (inclusive na terra das rosas), o local é pequeno, suficiente para atender simultaneamente apenas cerca de 20 pessoas. Mas vale a espera. Pratos em torno de 40 a 50.000 COP/pessoa no jantar. No almoço, o prato do dia, que inclui pescados, sai por 25.000 COP/pessoa. A localização também é muito boa; fica bem perto da Igreja de Santo Domingo.
  • Bacco Trattoria: Restaurante italiano fino de massas frescas. Excelente atendimento e comida! Bonita decoração e possui ar condicionado. Também é um restaurante pequeno, mas no dia que fomos a concorrência não estava grande, então jantamos tranquilos. Preços em torno de 40.000 COP/pessoa no jantar. Não abre para “almuerzo”. Fica na Calle Quero # 9-14.
  • Andante Allegro Vivace: Outro bom restaurante italiano. Lugar agradável, bem decorado e bom atendimento. Achamos a qualidade dos pratos um pouco inferior ao Bacco Trattoria. Preços em torno de 40.000 COP/pessoa no jantar. Também não abre para almoço. Fica na Calle 36 #20, pertinho do Hotel Delírio.
  • Pastelería Mila: É uma bonita cafeteria e casa de doces na Calle 36. Ambiente agradável com ar condicionado. Os doces são mais belos que gostosos. E os preços salgados!
  • La Esquina de Pan de Bono: Essa é outra cafeteria da cidade. Bem mais simples; você se senta num banco alto e toma seu lanche no balcão. Contudo, lá tem um tal de Pan de Bono, que imita (de longe) o pão de queijo Mineiro. É gostoso! Os sucos e cafés são excelentes! Preços bem mais baixos que o da Mila. Recomendo para tomar café da tarde. Fica na esquina da Carrera 6 com a Calle San Agustin Chiquita.

 

San Andrés

Mar de “siete colores”! Você vai ouvir muito essa expressão nessa belíssima ilha caribenha! O mar é de longe o mais lindo que já vi! Como a paleta de cores masculina é limitada (7 cores) fica difícil dizer quantos “azuis” tem. Tem que ver pessoalmente!

01[1]E aí, quantas cores?

A ilha de San Andrés, embora seja território Colombiano, está mais próxima da Nicarágua do que da Colômbia: 220 km contra 720 km. Contudo, o que se vê muito por lá são produtos americanos. Isso mesmo! Grande parte do abastecimento de insumos gerais da ilha (alimentos, bebidas, carros, etc) vem de Miami. Aqui aproveito para te dar uma dica: a ilha de San Andrés é considerada uma zona franca, isto é, livre de impostos. Logo, aquele perfume ou whisky que você esperava comprar no free shop, compre aqui! Os preços são melhores! Contudo, tome cuidado com algumas lojas: nem todas vendem produtos originais. Nas lojas em que verificamos produtos fake, as atendentes foram francas em dizer que tinham o original e o “genérico”. Mesmo assim, fique esperto e boas compras! A Riviera tem muitas lojas na cidade e vende apenas produtos originais. Recomendo.

Original a esquerda (US$ 170). Genérico a direita (10.000 COP). Nem comento o nome…

Diferentemente de outras praias famosas no Caribe, como Cáncun, Curaçao e Punta Cana, San Andrés ainda não possui “aquela” estrutura de serviços, como hotéis, bares e restaurantes. O próprio aeroporto Gustavo Rojas Pinilla é tacanho para a quantidade de turistas que chegam todos os dias. Os táxis são “barcas” antigas importadas de Miami. E diferentemente das outras cidades que visitamos na Colômbia, aqui o preço da corrida é caro! Para se ter uma ideia, o Hotel Portobelo, que fica na área mais comercial da ilha, dista 1,4 km do aeroporto. Pasmem: nossa corrida ficou em 15.000 COP! Sobre os hotéis, segue uma dica importante: a maioria não dispõe de água quente no chuveiro. É bom se certificar dessa particularidade ao confirmar a sua reserva. O Hotel Portobelo, além de possuir água quente nos “baños”, é bem localizado, tem boas acomodações e é novinho. Recomendo. Alem do Portobelo, uma opção mais ousada de estadia é na rede Decameron, que funciona (não estou certo se em todos) no regime “all inclusive”.

Observamos muitas obras na cidade, sejam elas públicas, sejam particulares, indicando que ela está se preparando para receber melhor os visitantes. Acredito que em poucos anos a estrutura estará bem melhor.

Mas voltando a parte natural da ilha, você encontrará uma praia tranquila perto do centro comercial. Dá para ir a pé do Hotel Portobelo (cerca de 500 m). Dali você já poderá contemplar o mar de 7 cores e pegar um bronze! Mas, recomendo 3 passeios que vão aumentar ainda mais seu deslumbre:

  • Ilha Johnny Cay: é uma ilhota pertinho de San Andrés. Saem barcos todos os dias para lá a preços de 25.000 COP/pessoa. Essa é uma ilha particular, mas que foi autorizada a ser utilizada para exploração turística. O mar é um pouco mais agitado, mas não chega a permitir “pegar um jacarezinho”. Lá tem restaurante e barracas para passar o dia. Refeições com pescados por 25.000 COP.
  • Ilha Acuário: é uma outra ilhota próxima a San Andrés. Pode-se ir diretamente para lá num barco ou fazer o passeio conjugado com Johnny Cay. Nesse caso o valor sobe para 40.000 COP/pessoa. Trata-se de um aquário natural. Lindíssimo! Você vai conseguir observar numa profundidade até 2m uma diversidade enorme de peixes, até mesmo arraias! Para esse passeio é necessário óculos de mergulho e sapatilhas próprias par o mar. Se você não tivé-las, poderá comprar na ilhota.
IMG-20170929-WA0028Aquário natural
  • Aquanautas (www.aqua-nautas.com): é um mergulho na própria ilha de San Andrés através de um sistema com capacete acoplado a uma linha de ar. É bastante seguro e torna a experiência de mergulhar tranquila para os marinheiros de primeira viagem, como eu. O preço por pessoa é 95.000 COP. Fotos à parte: 80.000 COP. Se estiver com um grupo, as fotos são tiradas de todos. Muito legal!
DCIM120GOPROlol

Na parte gastronômica, a ilha fica devendo. São poucos os bons restaurantes e bares. Ademais, o horário de funcionamento na sua maioria é até às 22h, exceto no fim de semana, quando o agito é maior. Logo, seguem apenas duas recomendações:

  • Bocca del Oro: restaurante um pouco mais fino, embora as cadeiras e mesas sejam rústicas. Boa comida. Atendimento nota 5. Aproveite para comer pescados e frutos do mar. Preços em torno de 40.000 COP/pessoa no jantar. Também abre para o almoço. Fica na Carrera 1 #2252.
  • Restaurante do Hotel Sol Caribe Sea Flower: é aberto ao público e possui buffet com saladas, 3 tipos de carnes (boi, frango, peixe ou porco), guarnições, sobremesa e bebidas (vinho, inclusive). 31.000 COP/pessoa, tudo! Salão com mesas forradas com tecido fino, excelente atendimento e ar condicionado. O melhor, na minha opinião. Fica na Carrera 1 #2598.

Obs: Optamos por não ir a ilha de Providência, que fica 95 km de San Andrés. Os comentários que tivemos foram os melhores possíveis e, me parece, ser um passeio mais exclusivo, até romântico. Se tiver oportunidade e recursos, vá. Há voos que saem de San Andrés para Providência.

Comentários Finais

Após 17 dias de viagem, 4 cidades percorridas por terra, céu e mar, retornamos para casa. Nossa percepção foi que os colombianos são bem parecidos com os brasileiros quando se trata de servir; algo bem diferente do que vimos, por exemplo, na Argentina. Estão sempre alegres, dispostos e pacientes.

A Colômbia me pareceu um país de diversos contextos: cosmopolita em Bogotá e Medellín, interiorano em Cartagena e “de boa” em San Andrés.

É bom estar preparado para as mais diversas temperaturas que enfrentará em cada região. Caso tenha dificuldade em montar a sua mala, segue o contato de uma boa personal organizer para te ajudar: http://casasempreorganizada.com.br.

Não deixe de trazer algumas amostras do café colombiano, para beber enquanto se lembra dos bons momentos!

Se você é acostumado com o arroz com feijão e sofre ao viajar, você nao terá esse problema na Colômbia. Essa mistura é também frequente nos pratos das famílias de lá.

Experimente as frutas típicas da região. Você vai se surpreender!

Aprecie o mar azul e quentinho do Caribe!

Boa viagem! Espero que suas experiências sejam tão boas quanto as minhas!